buscar

Como o e-commerce pode impulsionar as vendas na loja física?

Atualizado em: 25/02/2019

 

 

Existem empresas de varejo que dividem suas operações entre loja física e virtual, encarando o tão comentado – e já testado – conceito omnichannel como uma hipótese duvidosa. Mas os consumidores já se acostumaram à integração do comércio eletrônico com o PDV e preferem comprar em lojas que ofereçam o maior número de facilidades e vantagens vindas dessa forma de vender. Entre essas vantagens está a maior flexibilidade em formas de pagamento, retirada dos produtos e atendimento.

Integrar a loja física e o e-commerce pode trazer benefícios à venda no PDV. Estudos indicam que os consumidores usam cada vez mais recursos digitais durante sua jornada de compras e, por isso, quem não tem presença online já fica para trás na preferência dos clientes. Ao mesmo tempo, a loja física oferece uma série de vantagens, como a experiência sensorial: ver, sentir, tocar os produtos continua sendo importante para o consumidor. Unir os dois mundos aumenta as vendas e gera resultados.

 

As vantagens de ser omnichannel

Enquanto muitas lojas virtuais estão começando a criar uma reputação, o varejista de loja física já conta com o endosso de sua marca. A integração permite absorver os clientes já conquistados, ao mesmo tempo em que se pode criar uma nova audiência, que se sentirá segura em contar com a estrutura de alguém já estabelecido. Esse argumento fica ainda mais forte se sua base de dados já estiver embarcada em um sistema de ERP. É possível, assim, identificar como seus clientes preferem comprar e oferecer opções que resolvam suas necessidades de economizar tempo ou de visualizar o produto.

O Clique e Retire (Click & Collect) é uma das formas mais comuns de iniciar essa integração. O cliente compra online, mas escolhe retirar na loja. Se por um lado o cliente tem a comodidade de não pagar o frete, o lojista também ganha em não precisar pensar na logística dessa entrega, tendo apenas o custo da reserva de mercadoria. A relação é ganha-ganha.

O oposto também vale: uma compra na loja física que é enviada para a casa do cliente. A chamada “prateleira infinita” é uma forma de usar o estoque da operação online para aqueles casos em que não faz sentido manter estoque de um determinado item ou quando aquele item já esgotou no PDV.

Uma terceira possibilidade de integração é usar a loja física como um mini Centro de Distribuição para as vendas online. Usando o estoque da loja, o custo de transporte pode ser reduzido em até 80% e a entrega pode ocorrer em poucas horas. De farmácias a supermercados, passando por praticamente todos os segmentos de varejo que atuam nos shopping centers, é possível encontrar exemplos dessa prática, que é chamada de “ship from store”.

Mesmo com a integração, algumas estratégias podem continuar sendo direcionadas para canais de vendas separados. Para evitar problemas, deixe claras as políticas de promoção. Se os lojistas optarem por impulsionar a venda de itens encalhados exclusivamente no online, isso precisa ficar bem claro.

O importante é que o sortimento de produtos seja encontrado, na maioria dos casos, tanto no online quanto na loja física, mostrando ao cliente que sua marca é uma só, independente de onde ela esteja.