buscar

Trabalhe corretamente a postura do vendedor e aumente suas vendas

Atualizado em: 06/05/2019

 

 

Uma das principais reclamações dos clientes é sobre o atendimento dado pela equipe da loja, seja na área de informações, cobranças ou vendas. Há um misto de questões, que incluem contratação errada, falta de habilidade técnica, desmotivação, treinamento ruim e até o mau exercício da função de forma proposital.

No varejo, o vendedor é o cartão de visita do PDV e deveria sempre ser considerado um dos elementos principais na estratégia de marketing. Se uma boa campanha é o que pode trazer o cliente para a loja, o vendedor é o responsável por efetivar a compra. E se o cliente não comprar, não tem negócio.

Como o varejo é a porta de entrada de muitos profissionais e o varejista invariavelmente vai contratar iniciantes, é preciso formular um programa de treinamento. Para isso, é indispensável que o profissional seja observado e aperfeiçoado. Em um dado momento, sua loja alcançará um modelo eficiente que poderá ser utilizado de modo confiável. Para isso, um dos itens essenciais é a postura do vendedor, que pode ser treinada para que o sucesso seja alcançado.

Começando pelo básico: o vendedor precisa ser pontual, estar vestido de acordo com a identidade da marca e ter uma atitude bem-disposta no dia a dia. Esses elementos são o começo da conversa, mas outros aspectos devem ser levados em conta:

Metas: o vendedor deve acompanhar as metas macro e micro da campanha, pensando também em seus objetivos individuais de vendas. Com um número sempre em mente, o esforço se torna orientado e inteligente.

Negociação: o vendedor precisa ter fluência quando se trata de produto e preço. Quanto mais ele souber a respeito do que a loja oferece, melhor ele poderá apresentar soluções para os consumidores. Se conseguir captar o que o cliente precisa e quanto estaria disposto a gastar, melhor. Nesse processo, oferecer boas condições de pagamento e mostrar interesse real em deixar o cliente satisfeito pode levar a um bom fechamento da venda.

Conhecimento: o bom vendedor não conta apenas com seu talento, mas com todo o conhecimento técnico que possa absorver. Ele tem interesse em participar de treinamentos, assiste vídeos online e faz leituras sobre seu setor, sempre buscando se aperfeiçoar. O varejista pode sugerir leituras ou canais em plataformas de vídeo para vendedores iniciantes, de preferência que tenham linguagem simples e direta.

Venda vazia: se o vendedor foca apenas na meta, invariavelmente ele vai tentar “empurrar” produtos caros e isso afastará o cliente. Se o cliente acabar comprando algo que não quer apenas para agradar ou ajudar o vendedor “bonzinho”, ele não volta mais à loja.

Foco: o foco do vendedor deve estar no consumidor. Se o consumidor é bem atendido e se o vendedor oferece boas soluções, a venda é feita naturalmente. Isso conquista a confiança do cliente na marca.

Linguagem: o vendedor deve observar a linguagem verbal e corporal do cliente para entrar em sintonia com ele. Deve observar sua forma de falar e buscar um discurso que o deixe à vontade, além de observar sua expressão corporal para perceber suas objeções não verbais. Fazendo isso com frequência, essa logo se tornará uma ferramenta natural em seu trabalho.

 

Cada um desses itens pode ser incorporado gradativamente à rotina de vendas, para que se torne habitual e automático. Isso aumentará as vendas e agregará mais profissionalismo ao atendimento.