buscar

Qual é o perfil do novo consumidor na era da informação?

Atualizado em: 07/10/2018

Uma nova geração de consumidores vem ganhando espaço a cada dia nas estratégias das empresas. Uma nova geração nascida na era digital, que passa o dia todo conectada. Esse público, que tem entre 16 a 22 anos, possui muito acesso a informação e uma forma bem diferente de se relacionar com produtos e serviços.

Também chamados de “nativos digitais”, a partir de uma expressão criada por Mark Prensky, os novos consumidores já nasceram omnichannel: para eles, não existe experiência de compra exclusivamente física, já que sua vida é digital. Um estudo realizado pela Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC) mostra alguns detalhes desse novo perfil de público:

- a maioria dos jovens não faz compras regularmente, pois ainda mora com os pais (69%) e não possui atividade remunerada (57%);

- entre os que fazem compras online, sites de lojas virtuais e de revenda de produtos são os mais utilizados;

- as categorias mais consumidas em compras online são roupas e eletrônicos/eletrodomésticos;

- praticamente todos os jovens possuem WhatsApp, Facebook e Instagram, com um alto nível de utilização.

 

A idade desse público pode ter certa influência sobre esse comportamento, mas a atitude dos novos consumidores é que faz a diferença. “O novo consumidor não é apenas uma geração, mas sim um conceito”, afirma Angelita Ferraz, CEO da Ferraz Pesquisa de Mercado. E qual é o conceito desse novo consumidor, que ultrapassa faixas etárias?

O novo consumidor em alguns fatores:

1) Experiências: O diferencial são as experiências viabilizadas pelos produtos e a conexão emocional que as marcas criam com os clientes.

2) Customização: o massificado não interessa mais. O consumidor quer algo que seja único, exclusivo, com suas características. Isso é algo que faz parte do dia a dia: nenhum celular tem os mesmos aplicativos ou imagens de fundo, o feed de cada participante de uma rede social é único, sites mostram diferentes produtos para clientes diferentes. Quem tem uma abordagem “tudo para todos” parou no tempo.

3) Fluidez: o consumidor se relaciona com marcas, não com canais de compra. Ele valoriza relações sem atrito.

4) Respeito: às escolhas das outras pessoas, às suas próprias escolhas, ao meio ambiente. Uma nova geração de consumidores que abraça a diversidade e prefere marcas que têm respeito genuíno por causas sociais e ambientais.

5) O smartphone como extensão do corpo: o celular não é um acessório, e sim parte integral da vida do consumidor. É uma ferramenta de comunicação, um canal de informação, entretenimento, relacionamento e compras.

 

O comportamento digital do consumidor não significa o fim do varejo físico: um terço dos clientes preferem comprar um produto pela primeira vez em uma loja física, segundo uma pesquisa da MindMiners. Além disso, a loja é o local onde a experiência da marca pode acontecer. O varejo físico não está morto. entender o que o consumidor deseja é um caminho obrigatório para ser um varejista excelente.