buscar

Como o planejamento estratégico pode mudar o seu negócio

Atualizado em: 05/11/2018

Embora o varejo seja um setor muito dinâmico, em que a pressão do dia a dia tende a fazer com que o foco esteja nos resultados de curto prazo, nenhuma empresa consegue sobreviver sem um planejamento estratégico. O planejamento é o mapa que mostra qual o caminho que a empresa seguirá para alcançar o sucesso desejado. Sem esse mapa, é comum que a empresa se perca em meio às decisões cotidianas e à necessidade de vencer a concorrência.

Para o varejo, fazer um bom planejamento estratégico é uma maneira de entender onde a empresa está no momento, para antecipar e organizar seu crescimento. Ao traçar ações de curto, médio e longo prazo, o empresário aumenta a possibilidade de evitar problemas futuros e se preparar para dificuldades.

Mas como realizar um bom planejamento estratégico? Aqui vão seis dicas importantes:

 

1) Analise o cenário: o primeiro passo é saber onde se quer chegar e qual o caminho que precisa ser percorrido. Para isso, avalie seus concorrentes para detectar ameaças e oportunidades. Verifique qual é o panorama macroeconômico e como ele interfere no seu negócio. E, o mais importante, avalie a situação geral de sua empresa e quais são suas forças e fraquezas. Quais ações foram realizadas recentemente e que resultados elas trouxeram? Essa análise gera um panorama de seu negócio e do mercado, além de identificar processos que podem ser melhorados.

 

2) Defina seus objetivos e metas: onde você gostaria de estar daqui a um ano? E daqui a cinco anos? Sem saber para onde se vai, qualquer caminho serve. Ao identificar um alvo, é possível direcionar os esforços para alcançá-lo e, ao mesmo tempo, evitar desperdiçar recursos em ações que não contribuam para esse objetivo. É importante lembrar que o objetivo deve ser alcançável, para que as ações propostas sejam viáveis.

 

3) Defina os planos de ação: a partir da definição do objetivo, devem ser identificados quais os investimentos e recursos necessários para chegar lá. Quanto mais detalhadas forem as projeções do planejamento, melhor: se o objetivo é ter um mapa para o sucesso, esse mapa deve ser tão preciso quanto possível. Se o plano é dobrar de tamanho em cinco anos, que ações (treinamentos, programas de marketing, campanhas promocionais, abertura de lojas) serão realizadas para chegar lá?

 

4) Detalhe as ações táticas: desmembre o plano de ação estratégico em ações pontuais. Se serão realizados treinamentos, quantos ele serão e sobre o que serão? Quais serão as ações de marketing em cada data promocional? O detalhamento torna mais visível a forma como o plano estratégico será desenvolvido no dia a dia da operação. Com isso, é mais fácil fazer com que o plano realmente aconteça.

 

5) Defina indicadores de desempenho: como saber se você está no caminho para os resultados desejados? É comum que os planejamentos morram no meio do caminho porque ninguém está acompanhando o que está sendo feito. Por isso, estabeleça indicadores de controle. Se a meta é aumentar as vendas, qual é a métrica usada: faturamento, número de pedidos, número de produtos vendidos?

 

6) Delegue atividades: objetivos e ações precisam de donos. Quem será responsável pela execução de cada atividade? É preciso realizar essas definições para que fiquem claras as responsabilidades e seja possível cobrar sua execução. Caso isso não aconteça, a execução do planejamento estratégico certamente ficará prejudicada.

 

O lojista que consegue realizar seu planejamento, registrar como ele será executado e seguir seus passos dia após dia encurta o caminho para seu sucesso. Por isso, não subestime o valor do planejamento estratégico para o seu negócio!