buscar

Como aproveitar o m-commerce em sua loja física

Atualizado em: 14/01/2019

 

 

Os dispositivos móveis têm se firmado como uma das principais ferramentas eletrônicas utilizadas mundialmente, com destaque no mercado brasileiro. Segundo a pesquisa Visual Network Index, o Brasil terá 724,2 milhões de dispositivos móveis conectados até 2022. Até outubro de 2018 a Agência Nacional de Telecomunicações contabilizou mais de 233,3 milhões de celulares ativos no país.

Isso mostra o grande potencial de comercialização de produtos por meio do mobile commerce, ou m-commerce. Se você ainda não tinha ouvido falar nessa expressão, saiba que ele é uma vertente do e-commerce, mas com a linguagem totalmente adaptada para acesso em dispositivos móveis. O m-commerce também oferece uma flexibilidade maior, podendo fazer papel de protagonista nas vendas e/ou ser apoio ao PDV.

O m-commerce se mostra uma ferramenta muito útil para atrair clientes para a loja por meio do “clique e retire”. Pode-se oferecer a retirada do produto diretamente no PDV, usando como argumento a economia do frete e a possibilidade do cliente experimentá-lo, realizando a troca rapidamente e sem contratempos. Caso seja possível, ofereça a conveniência de trocar quaisquer produtos diretamente na loja: nesse caso, será necessário ter um sistema integrado de estoque e estabelecer as regras dessa modalidade.

Outra forma de atrair consumidores por meio do m-commerce é oferecer descontos nas lojas físicas a partir de um valor determinado de compra na transação online. Também é possível apresentar peças das coleções que são encontradas exclusivamente no PDV. Escolha peças atrativas tanto por sua composição quanto pelo preço. Essas sugestões devem ser discutidas com o departamento de marketing para comunicar no online quais as regras para realização de trocas e aproveitar promoções.

 

Como montar um m-commerce atrativo?

Muitas lojas já atuam com uma seção de e-commerce dentro do seu site, mas percebe uma gradativa queda nas vendas online, que não se revertem em visitas à loja. A pergunta é o que pode estar acontecendo? Pode ser apenas uma questão de experiência de uso.

Os sites, normalmente formatados para grandes displays, apresentam uma série de inadequações para a navegação em formatos menores. Hoje, é preciso pensar em uma ergonomia visual específica para dispositivos móveis, pois o consumidor conectado não tem muita tolerância com ineficiência e complexidades de navegação. Caso o desenvolvimento de um aplicativo seja uma alternativa, ele deve, preferencialmente, ser compatível com os sistemas iOS, Android e Windows Mobile.

Já existem prestadores de serviço altamente gabaritados para assumir um projeto de m-commerce que, além da preocupação de oferecer uma ótima navegabilidade para escolha dos produtos, tenha um processo rápido de pagamento, para que o momento da compra não seja prejudicado.

O m-commerce é uma realidade, mas o PDV ainda terá muita força caso continue oferecendo uma experiência de compra interessante. Trabalhando os dois meios de maneira estratégica, ambos poderão ser fortalecidos, incrementando as vendas. Todos ganham.