buscar

Acerte na iluminação da sua loja!

Atualizado em: 05/09/2018

 

O projeto de iluminação é um dos aspectos mais importantes de uma loja. As decisões de compra são tomadas dentro do PDV e, na maioria das vezes, de forma inconsciente. “É normal irmos a uma loja ou um shopping e voltarmos com mais coisas do que planejamos comprar. Justamente porque essas decisões são tomadas de forma inconsciente, é preciso impactar os sentidos do cliente, especialmente a visão, que absorve 80% dos estímulos que recebemos. E, para isso, o projeto luminotécnico é fundamental”, afirma Jordana Gabrielli, arquiteta, diretora da Élli Arquitetura e autora do blog Isso é VM!

O projeto de iluminação de uma loja influencia diretamente a comunicação com o cliente, valoriza produtos, destaca determinadas áreas da loja e ajuda no posicionamento da marca. Por isso, é preciso ter atenção: uma loja com iluminação ruim pode derrubar suas vendas.

Alguns erros são comuns nos projetos luminotécnicos do varejo. Veja quais são e como evitá-los:

 

A comunicação que não conversa com o público-alvo: o projeto luminotécnico precisa “falar” com o consumidor. De modo geral, uma luz muito clara e uniforme conversa melhor com um público mais popular, enquanto iluminação mais intimista cria uma leitura mais sofisticada. “A iluminação cria a ponte entre o público e os produtos”, afirma Jordana. Para isso, é preciso em primeiro lugar saber com quem a loja irá falar. “Infelizmente, ainda encontramos uma falta de clareza em alguns negócios em relação ao que a marca representa e qual seu público”. Não basta saber o que é vendido, mas também para quem se vende. “Iluminação é comunicação: se você não sabe com quem vai falar, não poderá fazer um bom projeto”, explica a consultora.

 

A vitrine que é um exagero de iluminação: a vitrine é um dos pontos mais importantes da loja, pois é um chamariz que traz o cliente para dentro do PDV. Por outro lado, é também um espaço em que é possível cometer muitos erros de iluminação. O mais comum é a escolha da fonte de iluminação errada: usar LEDs brancos que têm boa eficiência energética, mas não valorizam os produtos. “Há luz, mas essa luz mascara o produto em vez de destacá-lo”, diz Jordana.

Outro erro importante na vitrine é o uso de lâmpadas que emitem calor e, com isso, desgastam os produtos. “É comum vermos lâmpadas halógenas (como as dicroicas), mas elas, com o tempo, desbotam os produtos, o que gera prejuízo para a loja”.

A vitrine tem que chamar a atenção na dose certa, sem falta nem excesso. Uma vitrine mal iluminada é ruim, mas uma vitrine excessivamente iluminada compromete a percepção de cor do produto. Esse é um cuidado que também vale para o interior da loja.

 

As instalações elétricas aparentes: seja por falha no projeto da loja ou por uma necessidade imprevista, às vezes algumas soluções “criativas” acabam sendo adotadas. Muito cuidado com isso! “Puxar uma extensão ou deixar uma tomada aparecendo em uma vitrine desvalorizam muito a exposição do produto e mostram falta de cuidado da marca. O cliente tem que ver o efeito da luz e não a instalação elétrica”, comenta Jordana. Por isso, a iluminação da loja precisa ser bem pensada e não ter instalações elétricas à vista dos consumidores.

 

O provador mal iluminado: um investimento considerável foi feito no desenvolvimento das coleções e em uma vitrine atraente. O cliente entrou na loja, selecionou alguns produtos e decidiu experimentá-los. Nessa hora, com frequência o provador prejudica a venda: a tradicional iluminação com uma fonte de luz acima da cabeça cria uma zona de sombra no rosto e uma nos pés. A parte média do corpo se destaca e nenhuma roupa parece cair bem. A iluminação do provador precisa ser bem homogênea, difusa e, sempre que possível, vinda de trás do cliente, para não criar sombra dentro do provador. “Um provador mal iluminado prejudica as vendas e, por isso, o varejo precisa estar muito atento a esse momento de decisão de compra do cliente”.

 

Muitos desses erros acontecem por desconhecimento por parte do lojista, que não é um profissional especializado em iluminação. A dica é investir um pouco e contratar um arquiteto especializado em varejo e iluminação de espaços comerciais. Se a iluminação é um fator importante para impulsionar as vendas, vale a pena dedicar uma atenção extra a esse tema. “Hoje é preciso fazer muito com pouco: pequenas mudanças que tragam grandes resultados. Uma boa iluminação transforma a loja, aumentam as vendas e conquistam o público. É um investimento que gera retorno rápido”, analisa a consultora.